Degustação de Vinhos: Várias Sensações

Quarta-feira, 29 Setembro 2021

Entre no mundo do Turismo de Portugal e venha descobrir as várias sensações que encontra na degustação de vinhos, quando o cheiro da uva ainda se faz sentir durante a sua colheita.
Degustação de vinhos

#1 O vinho faz parte da nossa cultura e são muitas as pessoas que procuram experiências vínicas. Como funcionam as degustações que podemos encontrar nas Rotas dos Vinhos?

[TP] As degustações servem de mote à visita de determinada região vitivinícola. A Rota dos Vinhos dessa região “guia” os visitantes por adegas e vinhas levando-os a desfrutar de experiências diversas, porque é aí que assenta a magia: na diversidade em tão curto espaço geográfico.

Aproveitando a deslocação cada visitante pode, quer por visita espontânea ou com marcação (que se recomenda nos tempos que correm), ter acesso a degustações, mais ou menos alargadas de cada casa produtora. As provas podem ser comentadas.

#2 O MOOC Iniciação à Prova de Vinhos ensina-nos a identificá-los e diferençar. O que torna um vinho único?

[TP] Qualquer especialista dirá que são quatro os fatores principais, diferenciadores: Solo, Clima, Castas e o Homem. Uvas (castas) diferentes dão, com certeza, vinhos diferentes; A mesma variedade de uva, em solos ou climas diferentes, dará origem, com certeza, a vinhos também diferentes. A mão do Homem, ligada a diferentes hábitos, culturas, gostos e diversidade técnicas possíveis tratará de produzir vinhos diferentes e únicos. No entanto, para responder a esta questão do “que torna um vinho único” devemos acrescentar “o momento”. O momento em que degustamos um vinho, qual a ocasião, qual o local, o estado de espírito do provador naquela hora, eventualmente a companhia e a hora. Todos estes fatores tronam um vinho único…ou não.

#3 Na vida é importante partilharmos as nossas conquistas com as pessoas que mais gostamos.
Para alguém iniciante na compra de vinhos, que referências sugere ter na garrafeira para celebrar ocasiões especiais?

[TP] Os tipos de “ocasiões especiais” devem ser quase tantos como os tipos de vinho que existem. A resposta mais fácil será dizer ter sempre um espumante natural. Em Portugal já se produzem, há bastante tempo, excelentes espumantes naturais. Mas ainda assim e, porque o espumante pode não ser consensual, dependendo da época do ano e do local onde estejamos: os vinhos brancos, jovens, frescos poderão ser mais agradáveis à maioria das pessoas na época de verão. Em tempos mais frios os vinho tintos, mais robustos, eventualmente com algum envelhecimento poderão fazer jus à ocasião. Lembremo-nos que tal celebração foi feita à mesa de uma refeição tudo isto pode e deve mudar com certeza consoante a ementa desse dia.

Por último um vinho fortificado, para brindar num jantar especial (Porto, Madeira, Moscatel, Carcavelos).

 #4 Depois de aberta, como devemos preservar adequadamente uma garrafa de vinho? Que acessórios devemos ter e utilizar em casa?

[TP] Sabemos que o contacto prolongado (de um dia para outro, por exemplo) do vinho com o ar provoca a sua oxidação em excesso. O que é prejudicial. Por isso a garrafa deve ser fechada antes de arrumar. Se não tiver outra solução use a própria rolha da garrafa. O ideal é usar uma bomba de vácuo e rolha própria especial para o efeito. Consegue-se encontrar facilmente em supermercados o conjunto (Bomba + 2 rolhas de vácuo). A sua utilização é muito fácil e rápida.

#5 Através da agricultura sustentável surgiram os vinhos biológicos. Que características e diferenças podemos encontrar?

[TP] Como qualquer produto “Biológico” é naturalmente mais sustentável em termos ambientais. Contudo ainda é difícil encontrar Vinhos 100% Biológicos. A produção de uvas é possível ser 100% biológica. Mas depois, em adega, o processo de vinificação e conservação dos vinhos requer ainda alguns produtos químicos. Apesar de regulamentada (a quantidade permitida para este tipo de vinhos é substancialmente inferior aos vinhos tradicionais) a utilização de sulfitos ainda é uma prática corrente, mesmo nestes vinhos.

#6 Que conselhos deixa a um profissional a iniciar carreira de escanção (sommelier)?

[TP] Dizer “ter paixão” será quase redundante. Esse é um facto. Como o é para qualquer profissão. Dizemos mais: deverá estar preparado para uma vida de estudo, trabalho e dedicação contínua. É daquelas áreas que está sempre a evoluir e todos os dias coisas novas aparecem. Deve estar preparado para provar muito. A prova é fundamental na evolução de um profissional que se queira dedicar ao serviço dos vinhos. E acima de tudo, manter uma postura humilde no seu percurso de aprendizagem.